O relógio, o tempo e as minhas palavras

13 julho, 2017
Compartilhe nas redes sociais

relogio

Tempo. Ah, o maldito tempo. Minutos viram horas, que viram dias, semanas, meses. Quando vê, já foram-se anos e você se encontra em uma cadeira fria no inverno se perguntando quando as coisas mudaram tanto. “Como o tempo passa”.

Saudade + Tempo = lágrimas na certa.

Lembro com perfeição da minha ansiedade ao saber que faria uma viagem com minha escritora favorita, ao lado de sete pessoas que se tornaram tão essenciais na minha vida. Subi naquele avião e, quando desci, eu estava transformada. Outra pessoa, outro jeito de ver a vida. Um ano, mas na minha cabeça, foi ontem mesmo.

Tick-tack, o relógio ameaça.

—Corre, querida, que eu é que não vou esperar.

—Calma, seu relógio, vai mais devagar!

Ele é teimoso, esse relógio. Quer tudo no seu tempo. Por mais que reclamemos e imploremos para desacelerar, ele ignora. Não é assustador? Saber que nossa vontade não conta nessa hora. Eu, pelo menos, acho.

Aqui, sentada no meu sofá com uma xícara enorme de chocolate quente, me perco nos verbos do pretérito que aprendemos na escola. Quantos eu já usei… O ponteiro marca cada segundo, e mais um, e mais um.

—Para, para! —Cubro os ouvidos e tampo os olhos.

Fotos estão na minha frente quando os abro novamente. Amigos que há muito não desempenham mais esse papel, tempos que ficaram para trás. Quadrilha da escola, meu primeiro Natal.

É, seu tempo, você não brinca em serviço. Não foi mês passado mesmo que a fada do dente me fez a primeira visita?

Ainda dói, sabe, a saudade. Mas o reconfortante é que se trata de uma saudade boa, a qual me lembra do monte de momentos felizes que tenho no estoque. É que o momento foi tão incrivelmente feliz que é difícil aceitar que acabou.

Não quero mais ter medo desse relógio. O futuro tem que chegar, o passado, ficar na memória. Não tentar viver o passado no lugar do presente. Temos que dar chance de novas memórias boas se formarem. Essa é a fórmula da vida, quem foge dela faz do tempo um inimigo.

A noite cobre o céu. O dia passou rápido, ou eu que corri demais, já nem sei. Só sei que esse tick-tack ainda me apavora um pouco, mas quem nunca né amores? A diferença é que agora sei como usar esse medo ao meu favor, sei fazer dele um amigo fiel.

Seu relógio, eu também sou teimosa, sabia? Muito teimosa. O papel e a caneta me ajudam a te desafiar com, adivinha o quê: palavras. Isso mesmo, pode tremer a vontade. Pode levar o que quiser, lembranças, felicidade, momentos, tristeza… mas não as minhas palavras. Isso já é reconfortante o suficiente para eu acabar com esse chocolate quente e começar aquele livro fantástico do Neil Gaiman que eu comprei ontem. Mais um medo vencido. Obrigada.

 

Ana Laura S. Marins

Leave a reply
Manual de um escritorA menina que colecionava borboletas – Bruna Vieira
All comments (14)
  • Bruna bisoni
    13 julho, 2017 at 23:45

    Muito bom! Amei muito! parabéns Ana, cada vez melhor

    Reply
  • Eduardo Marins
    14 julho, 2017 at 1:42

    Sempre linda, inteligente e brilhante. Me orgulho de você s cada dia. Parabens filha. Enjoy....

    Reply
  • Marisa(Dada)
    14 julho, 2017 at 1:55

    Minha linda ...e como as suas palavras são fortes ...e como dominam o tempo!!!!! Continue sempre assim fazendo o seu tempo valer a pena !!!! Eu te […] Read MoreMinha linda ...e como as suas palavras são fortes ...e como dominam o tempo!!!!! Continue sempre assim fazendo o seu tempo valer a pena !!!! Eu te amo e me orgulho muito de você ,minha escritora favorita !!!!😍😍😍👏👏👏😘😘😘❤️❤️❤️ Read Less

    Reply
  • viviane_angela
    14 julho, 2017 at 11:55

    “Como o tempo passa”. Exatamente isso que eu ia dizer pra vc. Ontem vc era uma criança e hoje uma moça linda sempre com palavras […] Read More“Como o tempo passa”. Exatamente isso que eu ia dizer pra vc. Ontem vc era uma criança e hoje uma moça linda sempre com palavras sábias. Que Deus continue te abençoando com essa clareza e com as palavras certas que tocam em nossos corações! Parabéns mais uma vez e um grande beijo. Read Less

    Reply
  • Leandro
    14 julho, 2017 at 19:28

    O tempo não para... que verdade certeira. Mais Laura esse é o caminho . "Quem se ocupa não se preocupa" Lindo texto.

    Reply
    • Evelyn Santos
      @Leandro
      15 julho, 2017 at 2:55

      Oi Ana Laura recebi como presente esse lindo e tocante texto; que faz refletir ; mais também nos conforta ! Adorei a forma que enfrentou […] Read MoreOi Ana Laura recebi como presente esse lindo e tocante texto; que faz refletir ; mais também nos conforta ! Adorei a forma que enfrentou o medo o tempo...com suas palavras que ele certamente não levará. PARABÉNS Read Less

      Reply
      • Laura Marins
        @Evelyn Santos
        15 julho, 2017 at 16:00

        Obrigada Evelyn! Continue acompanhando o site, fico muito feliz! ;)

        Reply
    • Laura Marins
      @Leandro
      15 julho, 2017 at 15:58

      Obrigadaa! :)

      Reply

Leave Your Reply

Sobre mim

Ana Laura Marins

Oie, eu sou a Ana Laura, tenho 15 anos e criei este blog para compartilhar meus sonhos e descobrir o meu lugar no mundo. Gosto de café, dias chuvosos e sorrisos sinceros, além da minha mania incurável de contar histórias.

Translate »