Era uma vez uma nação...

4 novembro, 2016
Compartilhe nas redes sociais

 

País novo, país rico. Grande e extenso, límpido. Em 1500, um certo barco atracou nas praias brasileiras, trazendo gente estranha, que um dia tomaria o território como “Novo Mundo”. A história todos já conhecem ou, pelo menos, deveriam conhecer. O desenrolar também, até os dias atuais.

As pessoas, em rodas de conversa, dizem ”O Brasil se perdeu”, “governo corrupto”, “deu no que deu.” Mas vou te contar um segredo: o Brasil não se perdeu, começou seu rumo. Sem governo estável, segredos e diminuição da importância do povo. Familiar, não? Isso não é atual. Na verdade, é bem antigo.

Tenho treze anos. Alguns dizem criança, outros, adolescente. Eu digo ser-humano. Estudo em uma boa escola, tenho amigos e sou feliz. Porém, não sou cega.

As conversas preferidas dos adultos são sobre política e, quando crianças perguntam algo, a resposta é sempre: “coisa de adulto.” Por quê? Vocês nunca se perguntaram como é ser uma criança vivendo no Brasil? Qual a nossa opinião? Afinal, como vocês gostam de dizer, nós somos o futuro do país. Aposto que vocês não tem resposta para essas perguntas, então vou começar a dizer o que eu sempre quis. O Brasil não terminou errado, começou errado. O povo que deixou continuar.

Desde o princípio, o governo criou um povo cego. Isso mesmo, cego. Começando pelas escolas. Por que será que são ruins? Os professores são desvalorizados, o respeito não existe. É fácil somar dois mais dois. Povo sem cultura, não questiona. Sem questionar, aceita tudo. Olhe só que engraçado.

Já cansei de chegar em casa e ouvir que o dia não foi bom. Já cansei de ver minha família estressada por causa dos problemas que a crise trouxe. Sempre fomos explorados, daí o nome “colônia de exploração.” Dinheiro? O país tem, sabia? A arrecadação é uma das maiores do mundo. Já se perguntou onde está?

O meu professor de história disse a maior verdade que eu já escutei: “Quem não sabe história cometerá o mesmo erro repetidas vezes, ou os aceitará com a mesma frequência.” As pessoa estão desesperadas, e o estresse é muito grande, muita pressão. Há pesquisas que dizem que 50% das doenças são causadas pelo psicológico e, se você ficar doente, saiba que não haverá hospitais bons para te atender.

A cultura e os valores não têm mais importância aqui. O esforço é rejeitado e “eles” te fazem se sentir incapaz. Vou soltar uma bomba: você é inteligente. As pessoas perderam a noção do absurdo e não sabem mais o que pensar. “Todos os políticos são corruptos”, é o que dizem. Eu digo que não. Existem pessoas do bem, mas são abafadas pela maioria. Se você é um político de bem e está lendo isso, não esconda a sua voz, o povo precisa de você!

Você, comerciante ou qualquer brasileiro, lembre-se que NÓS somos a maioria. E por último, se você é um político agindo de má fé, eu lhe digo que não sinto raiva, mas pena. Pena porque um dia o universo cobra seu preço, se não nessa vida, na outra. Para finalizar, quero dizer para que não percam a esperança, acreditar é o que você precisa. Lembre-se, não podemos alterar o passado, mas podemos mudar o amanhã.

P.S: Se você ainda não sabe, é a presidentE, e não presidentA.

269776_Papel-de-Parede-Bandeira-do-Brasil--269776_1366x768

Um beijo e até o próximo post!

 

Leave a reply
Foras da Lei Barulhentos – Nick Hornby, Neil Gaiman, Jon Scieszka, Jonathan Safran Foer, Clement Freud, Lemony SnicketSonata em Punk Rock – Babi Dewet
All comments (4)
  • chico
    18 novembro, 2016 at 23:13

    Parabéns Laura o que você está dizendo é muito sério e muito adulto não tem essa visão,vocês jovens te cada vez mais mostrar a realidade […] Read MoreParabéns Laura o que você está dizendo é muito sério e muito adulto não tem essa visão,vocês jovens te cada vez mais mostrar a realidade para os Adultos. II Read Less

    Reply
    • Laura Marins
      @chico
      23 novembro, 2016 at 15:25

      Obrigada! Que bom que gostou! ;)

      Reply
  • Cibele
    22 novembro, 2016 at 13:34

    Parabéns. É muito lindo lê o q vc escreveu, e infelizmente uma realidade.

    Reply
    • Laura Marins
      @Cibele
      23 novembro, 2016 at 15:26

      Obrigada! Sim, realmente muito triste. Mas se todos tiverem uma opinião, talvez consigamos mudar tudo isso.

      Reply

Leave Your Reply

Sobre mim

Ana Laura Marins

Oie, eu sou a Ana Laura, tenho 15 anos e criei este blog para compartilhar meus sonhos e descobrir o meu lugar no mundo. Gosto de café, dias chuvosos e sorrisos sinceros, além da minha mania incurável de contar histórias.

Translate »